Síndrome de Cushing: a doença do estresse

1

Apesar de sempre existir, nos últimos anos a Síndrome de Cushing deve ter aumentado muito, porque até agora eu não a conhecia e agora está praticamente popularizada. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), aproximadamente 50 mil pessoas vivem com essa doença atualmente. A doença é provocada por nada menos que a alta concentração de estresse. Veja os sintomas:

Na verdade, a alta concentração é do hormônio cortisol, conhecido também como o hormônio do estresse. Os sintomas podem variar de pessoa para pessoal, mas os mais comuns são depósitos de gordura em partes do corpo, estrias, emagrecimento e pele frágil, hirsutismo, menstruação irregular, diminuição de libido e fertilidade, cicatrização lenta e acne. Além de dores de cabeça, depressão e ansiedade.

A síndrome de Cushing pode ser difícil de diagnosticar, já que seus sintomas são muito parecidos aos de outras doenças, como hipotireoidismo e hipertensão. O recomendado é verificar os níveis de cortisol no corpo.

Como a síndrome está relacionada ao aumento de corticoide, é inevitável que um dos fatores de risco seja o uso de medicamento contendo corticoide, como nos casos de artrite, artrite reumatoide, asma, lúpus e outras doenças inflamatórias. Além de pessoas que sofrem de diabetes e obesidade.

Caso seja diagnosticado a Síndrome de Cushing, o médico deverá suspender de forma gradativa o medicamento contendo corticoide ou substituí-lo. Em todo caso, a pessoa deve aumentar as atividades físicas, apostar em uma boa alimentação e procurar ajuda de terapeuta ou psicólogo para monitorar qualquer tipo de tristeza, depressão. Veja:

Tratamento
1 – Diminuição gradativa ou substituição de medicamento com corticoide
2 – Atividades físicas que fortaleceram o seu corpo e o cérebro
3 – Dieta rica em vitamina D e cálcio para fortalecimento dos ossos
4- Dieta balanceada e saudável para recuperar a saúde
5 – Hidroginástica para aliviar dores musculares e articulares

Se não for tratado, a síndrome pode trazer problemas como diabetes, tumor na glândula suprarrenal, hipertensão e muito mais.

Ler matéria completa
MICHELLE FRANZONI

Amo a vida saudável, viajar, decoração, jardinagem e muito mais! Sou fisioterapeuta, artista visual, e Doutora em Gestão do Conhecimento. No Blog da Mimis você encontrará um pouquinho de cada coisa que eu gosto!

Deixe um comentário‏

1 Comentário Mostrar comentários

  1. Olá, já recebi este diagnóstico e quase não consegui retornar de uma crise de diabetes grave.
    Realmente exercícios e as vitaminas ajudaram muito, porém a saída final para me recuperar foi o Sol, biquíni e alegria. Três ingredientes básicos que temos que ter.
    Parabéns pelos posts, valem muito para nós.

×