O processo de emagrecimento

1785

_michelle-franzoni--antes-e-depoisSei o que todo mundo quer saber. Então está na hora de começar a contar.

Como já falei AQUI, milagres não existem. Para mim, não há A dieta mágica, nem O shake emagrecedor.

Meu processo de emagrecimento deu-se em cima de dois fatores principais, apoiado em alguns outros complementares não menos importantes.

Hoje vou falar sobre os fatores principais para eu chegar ao corpo atual. Dieta e exercício.

Dieta é fundamental. Você precisa comer menos do que gasta, para o corpo “queimar” o excedente. E devemos comer direitinho, pois senão o nosso corpo, que às vezes é meio burro, não “queima” apenas gordura que é o que queremos, “queima” também massa muscular. E músculos são artigos de desejo e cobiça no mundo atual. Não desperdice os seus!

Para isso, é importante ter uma dieta equilibrada em proteínas, carboidratos e gorduras essenciais. São eles que manterão seu corpo com energia para o dia a dia e para a prática de exercícios.

Minha dieta consistia em alimentos saudáveis e que eu gostava, distribuídos ao longo do dia em 6 a 7 refeições (ver AQUI). 

Os exercícios??? Ahhh não foram fáceis no início. 32 quilos a mais nos deixam cansada, sem força, com batimentos cardíacos lá em cima… Mas eu fui… (Leia AQUI e AQUI).

Era preciso fazer um exercício aeróbico. E eu que já utilizava a bike como meio de transporte no centro da cidade, comecei pedalando 3 a 4 vezes na semana, por cerca de 50 a 60 minutos. Logo, quando vi os primeiros resultados, aumentei a intensidade da pedalada. E nos últimos meses eu estava pedalando cerca de 1,5 a 2 horas 6 a 7 x na semana, com sol, chuva, frio ou calor. OK! Você não precisa tanto. Realmente eu estava motivada e determinada. Ninguém me segurava. Eu visualizava meu objetivo, ou seja, meu corpo novo, e ia embora… a mil no pedal. E assim foi.

Quanto a musculação, um mês depois de começar a dieta e as pedaladas, me vi com coragem para me matricular na academia. Não… Não é fácil uma gordinha colocar sua malha de ginástica e uma camiseta larguinha para esconder a bunda cheia de celulite e encarar aquele ambiente de gente sarada e saudável.  Mas, mais uma vez eu estava lá. Eu treinava 4a 5 vezes por semana, com muita força de vontade. (Ler AQUI)

No meio “marombístico” das academias, existe o seguinte jargão: NO PAIN, NO GAIN. Isso significa que sem dor não há ganhos. E às vezes as piores dores não são as que o corpo sente, mas sim, as dores emocionais do processo. Isso falarei mais adiante.

Embora muita gente não acredite, eu não tomei inibidor de apetite, termogênicos, hormônios sintéticos ou qualquer tipo de droga. Minha droga chama-se DETERMINAÇÃO, e ela me trouxe até aqui.

Quem me acompanhou durante esse ano, sabe como eu suei, me dediquei, e coloquei todas as minhas forças para alcançar meu objetivo. E eu cheguei onde eu queria. Na verdade, ultrapassei o limite do meu desejo e conquistei um corpo que nunca sonhei ter.

Não é fácil. Mas também não é difícil.

Para tirar suas dúvidas sobre o meu processo de emagrecimento e vida saudável, clique AQUI.

Siga o Blog da Mimis no FACEBOOK e INSTAGRAM @blogdamimis e assine o meu canal de vídeos no YOUTUBE e receba todos em primeira mão.

Ler matéria completa
MICHELLE FRANZONI

Amo a vida saudável, viajar, decoração, jardinagem e muito mais! Sou fisioterapeuta, artista visual, e Doutora em Gestão do Conhecimento. No Blog da Mimis você encontrará um pouquinho de cada coisa que eu gosto!

Deixe um comentário‏

1.785 Comentários Mostrar comentários

×